domingo, 23 de setembro de 2007

A cidade perdida de Chernobyl

"Em assuntos nucleares, uma coisa é certa: não existe proteção contra uma cortina de ferro."
- Carta publicada no The Times em 3 de Maio de 1986


Em 26 de Abril de 1986, pouco depois da meia-noite, pra ser preciso, às 1:23 GMT, aconteceu na cidade ucraniana de Pripyat uma grande explosão no reator 4 da Estação de Energia Nuclear Memorial V.I. Lenin (em russo: Чернобыльская АЭС им. В.И.Ленина - ЧАЭС), seguida do derretimento do reator 4.

De longe, este foi o pior acidente com um reator nuclear de todos os tempos, o qual imediatamente criou uma nuvem radioativa cobrindo a vizinha Bielorrússia, Polônia, as repúblicas do Báltico, até a Escandinávia.

Em poucos dias, levada pelo vento, o vapor radioativo atravessou a europa além das fronteiras soviéticas, causando ansiedade, apreensão e medo.

As mais afetadas foram as repúblicas da Ucrânia e Bielorrússia. Elas foram afetadas pela radiação involuntária em larga escala, devido ao segredo com que a situação foi tratada, e grande dano econômico. Mais tarde, a massa de ar contaminado passou sobre a Polônia, e também por regiões da Tchecoslováquia, Hungria, Romênia e Iugoslávia, assim como vários outros países da Europa oriental.

Até hoje a área encontra-se abandonada, milhares de casas, quilômetros e quilômetros, tudo está como estava a 20 anos atrás.

Esta placa da época soviética indica a entrada no condado de Chernobyl. Muitas das coisas aqui continuam as mesmas desde a época da União Soviética.

Esta placa em uma das construções em Chernobyl também é da época soviética. Existe vida em Chernobyl hoje em dia, algumas coisas resolveram voltar, mesmo com o perigo da radiação.



Ainda é muito difícil ver pessoas pelas ruas de Chernobyl. Todos os canos foram levantados sobre o chão, devido à poluição do solo.



Praça principal no centro de Chernobyl.



Este monumento foi erguido em homenagem às pessoas que tentaram desligar a estação nuclear logo após o acidente. Todos morreram - a maior parte deles no mesmo ano (1986).

O mesmo monumento. Na estrada que leva até o monumento há vários avisos sobre poluição nuclear, mas as árvores cresceram em volta das placas, e é impossível notá-las. A natureza não tem medo da radiação.

Este é o jardim-de-infância de uma das vilas a caminho de Chernobyl.



Há um alojamento nele.



Há brinquedos espalhados por todo lado.



Partituras.



A maneira certa de se atravessar a rua.



Outro alojamento.



Esta é a usina em si. Até hoje há pessoas trabalhando lá, contruindo uma cobertura especial no topo do reator que explodiu, para que a radiação pare de se espalhar. Eles só podem trabalhar lá dentro por no máximo 2 minutos por dia, usando um uniforme especial, e recebem um salário de $1000,00 USD (aprox. R$1870), 5 vezes mais que o salário médio na região. Muitas pessoas tentam adulterar seus indicadores de dosagem para menos, pra que assim eles possam trabalhar mais e ganhar mais.

Este era o centro cultural para os funcionários da usina.



Esse estilo de pinturas nas paredes eram muito comuns na década de 80 na União Soviética.



Este é um ginásio, os símbolos soviéticos estão intocados. Provavelmente esse é o único lugar da antiga URSS em que isso acontece.



Uma árvore cresceu, atravessando o chão do ginásio.



Смелые, "corajosos".



Equipamento de atletismo.

Vista para um parque-de-diversões.



Cartazes de líderes soviéticos que estavam sendo preparados para o feriado de 1º de Maio.



"Amor" está escrito.



Uma boneca foi abandonada no asfalto.



Bilheteria do parque.



A roda-gigante.



Entrada para a roda-gigante. Mais brinquedos abandonados.



Mais símbolos da era soviética.



Um extintor de incêndio destruído.



O hotel da cidade.



Algumas mesas foram abandonadas no meio da praça. Reparem no símbolo de Energia Nuclear. Antigamente costumava ser um símbolo pacífico do progresso, hoje em dia ele representa a real situação das coisas aqui.



Uma caixa de correio em estilo soviético.




Um exemplo da arquitetura soviética.



Interior da escola. Notem a quantidade de máscaras de gás.



Alguém deixou um sapato pra trás.



Laboratório de química.



Sala dos professores.





Isso é um diário de classe.



Prédio do colégio semi-demolido.



Parte externa do hospital. Adivinhem o que é isso.



Parte interna do hospital.



Um dos quartos.



Peças de xadrez e um aparelho médico.



Colchões.

Isso é um elevador que ficou preso entre um andar e outro.

Um frasco de remédio que foi deixado intocado por 20 anos.

Mais remédios intocados.



Camas abandonadas no pátio do hospital.

Caminhando pela cidade. Nenhuma dessas árvores estava aqui antes do acidente, 20 anos atrás, elas são uma nova geração.

Docas.

Este é um outro exemplo da arquitetura soviética, construções de 16 andares com o emblema do Estado soviético.

Outro ponto de vista dos prédios.

Esta é outra vista da usina em Pripyat. Como pode ser visto, a usina fica exatamente no meio da cidade.

O emblema.

Algumas letras de um letreiro antigo no topo de um prédio.

A visão de uma cidade completamente abandonada.

A floresta invadiu a cidade.

Comentários são apreciados por parte do autor.

Fonte: englishrussia.com
Fotos: Alexandr Vikulov, pikul2001@mail.ru

8 comentários:

Ana disse...

não é aparelho de atletismo, mas sim de ginástica (y)

Kukla disse...

Morei em Moscou por 4 anos e um amigo me neviou seu blog.
Amei e espero poder visitar outras vezes. Adicionarei à minha lista de links importantes.
Paka!

Victor disse...

arruma isso aí
o reator nao ficava no meio da cidade mas neeeeem fudendo. ficava meio longinho até

Marcos Almeida disse...

Se tiverem uma história completa de chernobyl me enviem eu preciso fazer um trabalho e o que li e vi até hoje não tem sido suficiente eu gostaria de saber como viviam as pessoas antes do acidente

amei o blog

Macedo disse...

incrível e intrigante como a natureza resiste a este nivel de poluição, fico na curiosidade sobre como a fauna se encontra nem Chernobyl pois os fungos(que não são vegetais nem animais), aparentemente estao bem adaptados. outra intrigante pergunta é quem foi os malucos vândalos que destruiriam as construções, vidros etc... Ja pensou se rola um corte com este vidro?! abraços.

veltobomba disse...

Horrível , mas super interessante ,,,...valeu

ARROZ disse...

Nesse EXATO momento se faz 24 anos dessa catastrofe... Muinto triste tudo isso... e mais triste ainda em saber que tem pessoas ignorantes no mundo querendo desenvolver esse tipo de energia em seus paises..


adorei as fotos algumas novas pra min.

Rodrigo Gomes disse...

Esta é a melhor relação de imagens de Chernobyl abandonada que eu já vi até hoje. Este blog realmente nos transporta para lá e nos faz sentir as conseqüências daquela tragédia...O autor está de parabéns!